segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Continuação...


O documentário "Mundo do Trabalho" continua em andamento. Já conversamos com diversas profissionais da reabilitação, além de uma segurada. Dentre os entrevistados, a análise de um sociólogo, nosso professor da pós-graduação. A complexidade do tema requer um processo de construção a partir dos mais diversos olhares. Participe com informações, comentários, depoimentos e sugestões!

3 comentários:

  1. Aldaísa Ângela Belchior Sartini8 de setembro de 2009 00:53

    Achei excelente a exposição do papel da Reabilitação Profissional, no contexto de resgatar a dignidade de trabalhador.
    Gostaria de relatar um fato que presenciei durante uma greve da Previdência Social:
    um segurado que sofreu um acidente de trabalho, teve uma das pernas amputadas, e após sua recuperação cirúrgica, tinha sido agenadada a colocação de uma prótese, adquirida pela Reabilitação Profissional. Ao chegar no local marcado para os procedimentos técnicos necessários, ficou desesperado, pois temia que não conseguisse ser atendido em razão da greve, entretanto, a servidora responsável pelos encaminhamentos, bem como os profissionais que o atenderiam, não ignoraram o estado de espírito do rapaz, e compareceram ao trabalho para prestar o atendimento. Enquanto ele aguardava ansiosamente, conversamos muito, e fiquei muito emocionada com o que via, um jovem, com uma perna mecânica nos braços, me dizendo que não via a hora de poder andar sem as muletas, e o quanto ele tinha aguardado por aquele dia. fiz-lhe companhia até a chegada dos servidores que o atenderiam e retornei à minha sala, com o coração vibrando de emoção, e percebí a grande importância da Reabilitação Profissional. Pude ver o brilho nos olhos do rapaz ao sair. Fiquei feliz por ter tido a aportunidade de conhecer melhor um trabalho tão grandioso.
    Parabéns a todos da Reabilitação Profissional.

    ResponderExcluir
  2. Olá Aldaísa,
    seu depoimento, assim como a divulgação do blog, contribuem para o melhor desenvolvimento de nosso projeto. Obrigada.
    Camila

    ResponderExcluir
  3. Já vi gente passando fome depois desta tal reabilitação.Más Cada caso é um caso.

    ResponderExcluir